Ir para o conteúdo

Forte São João tem exposições durante mês de férias

11 de julho de 2018

Em julho, mês de férias escolares, o Forte São João está com três exposições abertas a turistas e moradores. São elas: “Sentidos”, dos alunos da Apae; “Bertioga: Sua história, nossas lembranças”, com fotografias da Cidade doadas pelo público e “Arquitetura Militar: Fortificações no Brasil”, de imagens que contam mais sobre os fortes brasileiros, do coronel e professor emérito da Unisantos Élcio Rogério Secomandi.
 
Os visitantes também têm mais tempo para apreciar tudo isso. O monumento está com horário diferenciado: as sextas e sábados, das 9 às 21 horas; as quartas, quintas e domingos, das 9 às 17 horas. A entrada é gratuita.
 
AS EXPOSIÇÕES
 
Sentidos – A exposição apresenta a experiência da pintura abstrata em tela durante dois anos, de 17 alunos entre 20 e 52 anos, da Apae Bertioga. Nos quadros, a emoção de cada um deles.
 
Arquitetura Militar: Fortificações no Brasil – A Exposição é composta por imagens que contam a história de fortalezas brasileiras, incluindo o Forte São João. O material faz parte do acervo pessoal do coronel Élcio Rogério Secomandi, professor emérito da Universidade Católica de Santos e membro ICOMOS/ICOFORT – Conselho Internacional sobre Museus e Sítios Históricos.
 
Bertioga: Sua História, Nossas Lembranças – A mostra é uma iniciativa da Secretaria de Turismo, Esporte e Cultura, como parte das comemorações do aniversário de emancipação político-administrativa de 27 anos de Bertioga. A coleção de fotografias contou com a participação da população, que contribuiu enviando suas imagens. A intenção é resgatar a história, personagens e memória de Bertioga, por seus moradores.
 
O FORTE

Bertioga pode se orgulhar por possuir a fortaleza militar mais antiga do Brasil. No local, respira-se história. Inicialmente chamado de Forte São Tiago, a primeira construção era de paliçada e data de 1532. Já em alvenaria, a construção é de 1547. Passou a ser chamado de Forte de São João a partir de 1765, por conta de uma pequena capela, próxima ao Forte, construída em homenagem a São João, hoje padroeiro da Cidade.

A estrutura tem formato de polígono retangular com guaritas nas pontas e um terraço, que hoje funciona como mirante para visitantes. No interior, reúne artefatos que remontam a história do Brasil, como canhões, armaduras de guerra, fotos, quadros e esculturas.

O forte teve papel importante durante às guerras dos indígenas que viviam entre Bertioga e Ubatuba (Tupiniquins, aliados dos portugueses e os Tupinambás, influenciados historicamente pelos franceses) e foi palco de acontecimentos importantes para a História do Brasil. Em 1563, os jesuítas Manoel da Nóbrega e José de Anchieta se hospedaram por cinco dias, antes de irem para Ubatuba apaziguar os índios revoltados na Confederação dos Tamoios. Foi também de Bertioga que Estácio de Sá e sua esquadra partiram, em 1565, para dar combate aos franceses e fundar a cidade do Rio de Janeiro.

ATRAÇÕES

Dentro do prédio, estão expostos armaduras e objetos que pertenceram aos colonizadores portugueses, da época do Descobrimento. É possível conhecer um pouco mais da história de personagens importantes como os padres jesuítas Anchieta e Manoel da Nóbrega. Há também mapas de rotas portuguesas, pinturas e estátuas de tribos indígenas do litoral norte de São Paulo.

PATRIMÔNIO DA UNESCO
O Forte é tombado como patrimônio nacional e está na Lista Indicativa de monumentos que concorrem ao título de Patrimônio da Humanidade pela Unesco, junto com outras 18 fortificações brasileiras indicadas.